Incêndio em submarino russo mata 14 e Putin convoca reunião de emergência

Quatorze marinheiros morreram no incêndio em um submarino de pesquisas da marinha russa em águas territoriais desse país, informaram as autoridades nesta terça-feira.

Após o acidente, o presidente russo Vladimir Putin cancelou sua agenda e reuniu-se com o Ministério da Defesa, Serguei Shoigu, para mandar investigar as causas.

“É uma grande perda para a Marinha”, declarou o presidente ao ministro da Defesa, Serguei Choigu, segundo a televisão local.

As forças armadas deram poucos detalhes do acidente ocorrido na segunda-feira com o misterioso submarino destinado, segundo a versão oficial, ao estudo do meio ambiente marinho e do fundo dos oceanos.

De acordo com o ministério da Defesa, citado pelas agências russas, as 14 pessoas morreram intoxicadas por causa da fumaça do incêndio, que foi controlado.

O incêndio ocorreu durante uma operação de recolhimento de dados no leito marinho, segundo a marinha russa, que informou que o submergível tem base na cidade fechada de Severomorsk, na região de Murmansk, no Ártico.

O nome e o tipo da embarcação não foram divulgados, mas, segundo fontes citadas pelos jornais russos RBK e Novaya Gazeta, o submarino seria o nuclear “AS-12”, apelidado de “Losharik” pelo nome do personagem de um desenho animado soviético, por causa da forma pouco comum de sua estrutura.

Sabem-se poucas coisas sobre o “AS-12”, que não estaria armado, contaria com uma tripulação de 25 marinheiros e poderia alcançar uma profundidade de 6.000 metros, segundo Novaya Gazeta.

 

Reportagem: Redação Amazônia sem Fronteiras

- PUBLICIDADE -