Irã condena 17 supostos espiões da CIA à morte

O governo iraniano afirma que descobriu um grupo de supostos espiões da CIA e anunciou esta segunda-feira (22) que alguns dos suspeitos detidos já foram condenados à morte. A informação foi divulgada pela televisão estatal iraniana.

O canal leu um comunicado do ministro da Informação iraniano, Mahmoud Alavi, que revelou que os supostos espiões estavam “trabalhando no setor privado em áreas sensíveis e vitais da economia, do desenvolvimento nuclear, infraestrutural, militar e da cibersegurança… nas quais reuniram informação confidencial”.

Os suspeitos foram detidos ao longo dos últimos meses e um elemento do Ministério da Informação realçou, em uma conferência de imprensa, que estes supostos espiões da CIA não foram bem sucedidos nas suas missões de sabotagem.

No mês passado, o Irã afirmou que expôs uma grande rede de ciber-espionagem que supostamente era dirigida pela CIA. Não se sabe, no entanto, se estas detenções estão relacionadas com essa rede exposta em junho.

Este é o mais recente episódio na escalada de tensão entre Teerã e Washington, que tem marcado as últimas semanas.

Reportagem: Redação Amazônia sem Fronteiras

 

- PUBLICIDADE -