Amazonastur abre processo licitatório para o ‘AmazonBus

O aviso de licitação foi veiculado na última quarta-feira (13/02), no Diário Oficial do Estado (DOE), e o edital disponibilizado na última segunda-feira (18/02).

A Empresa Estadual de Turismo do Amazonas (Amazonastur) abriu licitação para passar novamente para a iniciativa privada os ônibus que faziam “City Tour” em Manaus. O aviso de licitação foi veiculado na última quarta-feira (13/02), no Diário Oficial do Estado (DOE), e o edital disponibilizado na última segunda-feira (18/02). A licitação ocorrerá no dia 20 de março, às 10h, na sala de licitações da Amazonastur, localizada na avenida Santos Dumont, bairro Tarumã, zona oeste. Os interessados em obter o edital, no valor de R$ 50, devem procurar a sede da Amazonastur.
Segundo a presidente da Amazonastur, Roselene Medeiros, após dez anos geridos pela iniciativa privada (2009 a 2018), no ano passado, os ônibus ficaram sob a administração da Amazonastur, sem que a empresa cobrasse pelo serviço, dificultando a manutenção dos mesmos. “Em nenhum lugar do mundo esse serviço é oferecido de forma gratuita. Esse serviço sob a gerência direta da Amazonastur significa uma concorrência direta com as agências de turismo e esse não é nosso objetivo”, ressaltou.
Roselene Medeiros salienta que a nova gestão da Amazonastur está realizando um processo licitatório transparente. “O interessado em adquirir a cessão de uso poderá vir até a Amazonastur, conhecer as condições técnicas dos veículos, de forma transparente, sem que nenhuma dúvida fique no ar. Nós queremos um turismo cada vez melhor e mais profissional”, frisou a gestora.
Valor – Conforme o edital, o valor do contrato está estipulado em R$ 120 mil (60 parcelas de R$ 2 mil), sendo que o cessionário utilizará os veículos pelo prazo de cinco anos, podendo ser prorrogado por mais cinco. A empresa vencedora terá como obrigação repassar ainda 10% de qualquer publicidade realizada dentro dos veículos.
O cessionário responderá, civil e criminalmente, pelos prejuízos causados ao(s) empreendimento, ou a terceiros, a que der causa, ou pelos danos causados por seus subordinados, empregados, prepostos ou contratados.
Manutenção e seguro – A empresa que vencer a licitação ficará responsável pela manutenção corretiva, preventiva e periódica dos ônibus, visando modernizar o equipamento; com o seguro total dos veículos e dos passageiros, de forma que a agência vencedora amplie e diversifique a receita como produto do turismo amazonense.
“É uma temeridade circular pela cidade sem ter seguro. Nós não podemos ser inconsequentes. Queremos oferecer o melhor para turistas e para a população, sem colocar em risco a vida e o patrimônio do estado”, disse a presidente da Amazonastur, citando o fato dos ônibus terem trafegado sem seguro no passado.
Passageiros manauenses – Dados da Amazonastur apontam que durante o período de serviço gratuito, 18.424 turistas utilizaram os ônibus, sendo que somente 797 eram turistas estrangeiros. Dos 17.631 residentes no Brasil, 12.019 moravam no Amazonas e 5.612 residiam em outros estados brasileiros. Dos usuários amazonenses, 10.477 eram moradores de Manaus e 1.542 do interior.
O percurso dos ônibus, com duração de aproximadamente 2 horas e 30 minutos, engloba os principais pontos da cidade, como Teatro Amazonas, Ponta Negra, Centro de Instrução de Guerra na Selva (Cigs) e Ponte Jornalista Phelippe Daou.
Amazônia sem Fronteiras / Fonte: Assessoria de Comunicação da Empresa Estadual de Turismo do Amazonas (Amazonastur)
- PUBLICIDADE -