Após incêndios, Austrália vai abater milhares de camelos

O calor e a seca no sul da Austrália levaram as autoridades a confirmar o abatimento de cerca de 10 mil camelos na região. De acordo com o Departamento de Meio Ambiente e Água do país, a medida é necessária para conter o aumento da população desses animais que, em busca de água, tem gerado danos e levado perigo para famílias e comunidades nas terras indígenas de Anangu Pitjantjatjara Yankunytjatjara (APY).

Em um comunicado, o diretor-geral da APY, Richard King, afirmou que o abate fornecerá uma zona de proteção para comunidades e crianças. “Algumas pessoas, nesse tipo de clima, são incapazes de ligar o ar condicionado, por medo de que os animais ataquem o ar condicionado por causa da umidade”. Segundo King, os camelos podem sentir o cheiro da água a 5 quilômetros de distância.

Atiradores profissionais estão usando helicópteros para o abate dos animais. Os camelos são executados em áreas remotas da comunidade e as carcaças serão queimadas em algumas semanas quando forem secas, de acordo com o portal The Australian.

A Austrália tem sofrido com incêndios que se iniciaram em setembro do ano passado, por causa de uma grave seca que atinge principalmente a região Sul do país e provocou ondas de calor recorde, com temperaturas que atingem 50°C.

Os ventos fortes contribuem para propagar o fogo por uma vasta região que já destruiu mais de sete milhões de hectares. Por conta da seca, qualquer faísca, por ação humana ou causas naturais, desperta o fogo e aumenta o estrago.

Reportagem: Redação Amazônia sem Fronteiras

- PUBLICIDADE -