Manaus receberá seminário sobre saneamento no próximo dia 21

A concessionária Águas de Manaus promove no próximo dia 21 (quarta-feira), o seminário “Universalização do Saneamento: Desafios e oportunidades”. O painel vai reunir personalidades nacionais, especialistas do setor e autoridades locais.

O evento contará com palestras do diretor-executivo do Instituto Trata Brasil, Édison Carlos; do professor da Universidade Federal do Paraná (UFPR), Egon Bockmann; do diretor-presidente da Águas de Manaus, Renato Medicis e do Prefeito de Manaus, Arthur Virgílio Neto. Além da troca de experiências positivas, o seminário tem o objetivo de discutir ações para garantir o acesso de todos os moradores de Manaus ao saneamento básico, melhorando a saúde, a qualidade de vida e os indicadores da cidade sobre o tema.

O “Universalização do Saneamento: Desafios e oportunidades” acontece a partir de 8h30, na nova sede administrativa da Águas de Manaus, localizada na Avenida André Araújo, 1981, Aleixo, zona Centro-Sul da cidade.

ESPECIALISTAS

Referência nacional do setor, o diretor-executivo do Instituto Trata Brasil, Édison Carlos, apresentará a palestra “Ganhos Sociais e econômicos da expansão do saneamento no Brasil”. Em sua apresentação, Édison pretende abordar o cenário do saneamento nas capitais da Região Norte do país e mostrar, através de dados, os impactos que o saneamento causa em áreas como saúde, educação, turismo, renda, salários e etc. “O saneamento é a infraestrutura mais transversal, ajuda a cidade e as pessoas em várias áreas. Eventos assim são fundamentais para dar transparência à situação deste assunto à sociedade. As pessoas precisam conhecer mais do tema, até para cobrar esta infraestrutura tão importante, mas tão esquecida”, argumenta Édison.

O Instituto Trata Brasil desenvolve estudos como o “ranking do saneamento”, que analisa anualmente os indicadores de água e esgoto nas 100 maiores cidades do país. Édison diz que já esteve em Manaus em outras oportunidades e reconhece que a capital ainda tem muito a evoluir em relação ao saneamento básico. “Adoro Manaus e sempre recomendo às pessoas por ser uma cidade única no país. No que se refere ao saneamento, Manaus nunca conseguiu avançar de forma constante e é citada em nossos estudos como uma capital problemática nesta infraestrutura. De qualquer forma, o que quero mostrar é nossa esperança de que agora, a realidade será outra. Somente estando bem informadas as pessoas, autoridades e formadores de opinião podem agir em prol do saneamento”, completou Édison, que é formado em Química pela Faculdade Oswaldo Cruz, pós-graduado em Comunicação Estratégica e já atuou em diversas áreas de tratamento de águas e efluentes. Ele dirige o Instituto Trata Brasil desde 2010.

Com a palestra “A regulação como incentivo à universalização dos serviços de água e esgoto”, o professor Egon Bockmann é outro especialista nacional que estará presente no evento. Egon é professor do Departamento de Direito Público da Faculdade de Direito da Universidade Federal do Paraná (UFPR) e do Programa de Pós-Graduação em Direito da UFPR. Possui Mestrado e Doutorado pelo PPGD da UFPR, além de Pós-Graduação em Regulação Pública da Economia e Concorrência pela Faculdade de Direito da Universidade de Coimbra, Educação Executiva no Program on Negotiation da Harvard Law School (2018) e Mediating the Litigated Case na Pepperdine Law School (2018).

O atual cenário do saneamento em Manaus também será assunto no evento. O diretor-presidente da Águas de Manaus, Renato Medicis, vai falar sobre o trabalho e as melhorias que a concessionária realizou em um ano de atuação na cidade, além de mostrar alguns dos projetos que serão implantados para ampliar os serviços de água tratada e coleta e tratamento de esgoto na capital amazonense. O Prefeito de Manaus, Arthur Neto, finaliza o seminário, traçando um panorama sobre o saneamento básico em Manaus.

IMPORTÂNCIA

 Uma cidade que conta com uma boa infraestrutura de saneamento básico consegue obter ganhos econômicos e sociais concretos, especialmente nos setores da saúde, educação, produtividade, turismo e valorização imobiliária. No entanto, o país ainda tem muito a evoluir neste setor.

O estudo “Benefícios Econômicos e Sociais da Expansão do Saneamento Brasileiro 2018”, realizado pelo Instituto Trata Brasil aponta que o país ainda tem cerca de 35 milhões de brasileiros sem acesso à água e mais de 100 milhões de pessoas sem coleta dos esgotos. A média nacional de coleta e tratamento de esgoto é de 44,92%. O Brasil é o 106° país do mundo em termos de acesso ao saneamento básico. Com o investimento necessário em duas décadas, o Brasil pode chegar à índices próximos ao da universalização. Os ganhos econômicos e sociais trazidos pela expansão dos serviços de saneamento tem potencial de gerar um retorno até quatro vezes superior ao de investimentos.

SERVIÇO:

ASSUNTO: Seminário Universalização do Saneamento – Desafios e Oportunidades

DATA: Quarta-feira, 21 de agosto de 2019

HORÁRIO: A partir de 8h30

LOCAL: Auditório Águas de Manaus, Avenida André Araújo, nº 1981, bairro Aleixo

PROGRAMAÇÃO:

8h30 – Welcome Coffee

9h30 – Águas de Manaus: Um ano de investimentos (Palestrante: Renato Medicis, diretor-presidente da concessionária)

10h – Ganhos sociais e econômicos da expansão do saneamento no Brasil (palestrante: Édison Carlos, diretor-executivo do Instituto Trata Brasil)

10h45 – A Regulação como incentivo à universalização dos serviços de agua e esgoto (Palestrante: Egon Bockmann, profesor da Faculdade e do Programa de Pós graduação em direito da UFPR)

11h30 – Saneamento em Manaus (Palestrante: Arthur Virgílio Neto, Prefeito da cidade de Manaus)

Reportagem: Redação Amazônia sem Fronteiras

- PUBLICIDADE -